Feeds:
Artigos
Comentários

Leiam aqui este excelente artigo do Expresso 

 

Anúncios

Até Setembro

Queridxs mães e pais da AMPLOS

A AMPLOS irá estar de férias durante o mês de Agosto (como já vem sendo hábito). Última tarde de acolhimento de mães e pais será no próximo dia 27 (5ª feira) entre as 15h e as 20h. Estamos disponíveis para vos receber ou conversar via telefónica.
Voltamos em força em Setembro:
 
 Dia 7 de Setembro – recebemos mães e pais a partir das 14h (até às 20h). É melhor avisarem para podermos organizar as sessões.
Dia 9 de Setembro – pique-nique no parque do Alvito a partir das 12h. Em breve descreveremos a localização certa. Tragam os vossos contributos para o pique-nque.
Contamos com todxs! Vai haver espaço e atenção para/ a todos os núcleos da AMPLOS. Vamos receber novas famílias e pôr as nossas conversas em dia.
Boas férias! Aproveitem ao máximo e descansem!
unnamed.png

A luta de um jovem homossexual, o povo do seu lado e a Igreja que teima eu não evoluir.

A história aqui neste link.

joaomaria4_1280x720_acf_cropped

 

mw-860

Leia aqui a entrevista de Margarida Faria ao Expresso.

 

 

 

Boas festas

cartao-de-natal

unnamed

“A melhor de ser uma rapariga, é não ter de fingir que sou um rapaz”

 

este

TEXTO APRESENTADO NA CONFERÊNCIA “DIVERSIDADE DE GÉNERO NA INFÂNCIA” – AMPLOS- CIES-ISCTE – dia 8 de outubro de 2016 – núcleo AMPLOS-INFÂNCIA

Lembro-me bem do dia em que nasceste.

Lembro-me de tudo (afinal foste o primeiro).

Lembro-me de quando te deitaram em cima da barriga da tua mãe.

Lembro-me que paraste de chorar e que abriste os olhos.

 

Que me aproximei de ti com duas lágrimas gigantes suspensas nos olhos (que julgo

ainda guardar comigo);

que instintivamente te cheirei, como outro qualquer mamífero, um cheiro que ainda

hoje reconheço, cada vez que te beijo e contemplo em segredo, enquanto sonhas.

E lembro-me, lembro-me muito bem, do que te sussurrei nesse momento.

Da promessa que te fiz no nosso primeiro momento juntos.

A tua felicidade é uma prioridade, seja ela com uma bola de futebol nos pés, que

quase sempre me mostraste que não querias ter, ou com uma sereia pela mão, que

ainda hoje te conforta. Depois disso muito pouco importa.

Importa o respeito que tens de ter pelos outros e o respeito que os outros terão de

ter por ti.

Importa que percebas que todas as tuas decisões terão consequências.

Importa que aprendas com os erros e com os sucessos.

Importa a tolerância, a aceitação e a inclusão.

Importa muito a tua segurança. Importa quase tanto como a tua liberdade e quase

tanto como o equilíbrio entre ambas. Um exercício que continua a ser o meu, o teu, o

nosso maior desafio.

Sabes bem o quão bom é ser diferente, mas também sabes que a diferença mete

medo.

Sabes bem que ser diferente é gerar riqueza, mas também sabes que a diferença traz

desconfiança.

Viver assim não é fácil, mas como diz a tua mãe, se fosse fácil não tinha graça.

A nossa história ainda agora começou e sei (tu ainda não) que as páginas mais difíceis

serão as próximas a ser escritas.

Não as vou escrever por ti, porque a tua caneta não precisa da minha mão, mas

poderás sempre  contar com a minha voz para te guiar por entre as linhas dos teus

dias.

Gosto muito de ser teu pai, quase tanto como gosto de ti.

FIM